JALAPÃO
TOCANTINS - BRASIL
 
 
 
JALAPÃO!
Conhecido como o deserto brasileiro, Jalapão reúne dunas e piscinas naturais na mesma paisagem !
Home » Destinos » BRASIL » TOCANTINS » JALAPÃO
Conheça o Destino Sobre Cidade
Sobre a Cidade
Acesso
Onde me Hospedar?
Gastronomia
Pontos Turísticos
Comprinhas
Curiosidades
Informações e Utilidades
Praias
Fotos e Videos
Localização
Previsão do Tempo
JALAPÃO ! Fonte:
Conhecido como o deserto brasileiro, Jalapão reúne dunas e piscinas naturais na mesma paisagem ! PMF/Uol Viagens/ Wikipédia/ Guia 4 Rodas
JALAPÃO

Visitar o Jalapão, destino quase intocado localizado em pleno centro do Brasil, é fazer uma viagem em meio a descobertas.

Não só por seus atrativos selvagens e pouco conhecidos pelo resto do País, como dunas douradas e poços borbulhantes, mas também pelas dúvidas e falta de informações que trazem na bagagem os que se aventuram por aquelas terras, localizadas a leste do Tocantins.

Alguns se surpreendem quando descobrem que o mais novo Estado do Brasil fica na região norte do Brasil, e não no centro-oeste, como se costumava supor. ?É uma questão política apenas?, resume um guia local sem muita delonga.

Alguns quilômetros mais adiante outro viajante desavisado, mas não menos curioso, lamenta a falta de pássaros. ?Não tem aves porque não tem nada aqui?, arrisca seu acompanhante. ?Não tem nada no cerrado? É aqui onde se encontra uma grande quantidade de alimento para os animais e plantas de poderes medicinais?, corrige, paciente, o mesmo guia, enquanto do lado de fora do caminhão adaptado para fins turísticos corre uma paisagem árida de vegetação rasteira, como as encontradas nas savanas africanas, localizada em uma área de transição entre o cerrado e a caatinga. ?Estamos no meio do nada?, filosofa o outro. ?E no meio de tudo, ao mesmo tempo?, completa o outro.

É nesse clima de (agradáveis) surpresas que se faz turismo em um dos destinos mais novos e desconhecidos do Brasil: o Jalapão, cujo nome é uma referência a um tubérculo típico da região, a jalapa-do-brasil.

Localizado na divisa entre Bahia, Maranhão e Piauí, em uma área de 34.113 km², o Jalapão é conhecido como o deserto brasileiro. Não apenas pelas montanhas de areia que formam as dunas de até 30 metros que se movimentam aos pés da Serra do Espírito Santo, mas também pela densidade demográfica local que conta com ínfimo 0,8 habitante encontrado a cada km².

No entanto, a maior inspiração desse destino de aventura, genuinamente brasileiro, vem de suas águas. Não é à toa que a região também é conhecida como ?Deserto das Águas?. Rios de ritmos para todos os graus de aventureiros, como as corredeiras e os trechos mais calmos do rio Novo; poços borbulhantes que impedem que os banhistas afundem por conta da pressão de águas subterrâneas e de partículas de areia, um fenômeno natural conhecido como ressurgência; e as clássicas veredas locais, uma espécie de esponja natural que acumula água da chuva e alimenta os rios da região.

E para provar que essa história de deserto molhado vem de longe, estudos comprovam que o rio Novo, um dos mais importantes da região, é o que sobrou da época em que o Jalapão era um enorme oceano, há 350 milhões de anos. Formado por 7 municípios (Ponte Alta, Mateiros, Novo Acordo, São Félix, Lizarda, Rio do Sono e da Conceição, Santa Tereza e Lagoa), o Jalapão foi, até pouco tempo atrás, uma área discriminada do Brasil, mesmo após a emancipação do norte de Goiás que dera origem ao mais novo estado brasileiro, o Tocantins.

Até 1998, o belo rio Novo era cruzado por balsas rústicas feitas com buriti que levavam carga seca de um lado a outro; as condições sociais eram mínimas e em 2002, segundo locais, algumas crianças sequer tinham ideia do que era ir à escola. A situação parece ter mudado muito pouco, embora os avanços já sejam sentidos pela população local, sobretudo com as oportunidades de trabalho que foram chegando junto com os primeiros investimentos do setor turístico.

Mas no lugar das caravanas de tropeiros que cruzavam aquele território árido em direção ao Vale do rio Tocantins, a região assiste, atualmente, à invasão (por sorte, ainda bem discreta) de viajantes aventureiros em busca de experiências únicas no coração do Brasil.

Expedições em caminhões adaptados, como aqueles utilizados nos famosos safáris africanos, levam grupos de viajantes que já não se contentam com as viagens mais comuns; motoristas independentes que, a bordo de obrigatórios veículos 4x4, exploram áreas preservadas e isoladas do centro do Brasil; e competidores alucinados que, de tempos em tempos, deixam marcas de pneus nas areias do Jalapão, em direção a outros sertões do País.

Principais Pontos Turísticos:

Capim Dourado

O capim dourado só brota nas veredas do Jalapão. E é utilizando sua haste fina e de intenso brilho metálico que as mulheres do lugar, com mãos habilidosas, transformam o capim em uma diversidade de peças artesanais: bolsas, brincos, pulseiras, chapéus, mandalas, cestas e diversos objetos de decoração. Peças de beleza única, que ultrapassaram os limites do Tocantins, conquistando mercado em todos os estados brasileiros e também no exterior.

Mumbuca
 

Em seu passeio pelo Jalapão vale reservar um tempo para conhecer um povoado tradicional, o Mumbuca, distante 35 quilômetros da cidade de Mateiros. Foi nesse lugar, formado por uma maioria de descendentes de escravos, que surgiu o tão popular artesanato em capim dourado.

Gruta de Suçuapara

Localizada na altura do km 15 da estrada para Mateiros está uma gruta de 15 m de altura e 60 m de comprimento, que forma um cânion com cachoeira.

Cachoeira do Lajeado

A Cachoeira do Lajeado é um trecho de 25 m composto por degraus formando várias quedas. Para chegar é preciso percorrer 45 km pela estrada para a Fazenda do Chiquinho.

Cachoeira do Brejo da Cama

Sua queda tem apenas 3 m de altura e fica dentro de um buraco. O acesso é pela estrada para Fazenda do Chiquinho (45 km).

Cachoeira da Velha

Com cerca de 25 m de altura, essa cachoeira, que tem duas quedas em forma de ferradura, deságua no Rio Novo. Para se chegar a Cachoeira da Velha siga pela estrada para Fazenda Triagro (101 km).

Dunas

É possível ver dunas no Jalapão no km 136 da estrada para Mateiros. Elas chegam a alcançar até 40 m de altura e tem a cor alaranjada.

Fervedouro

Nesse poço de olho d água a água azul borbulha da areia do fundo. Esse fenômeno acontece, pois essa piscina natural se localiza sobre um lençol freático. A sensação que o turista tem é de flutuar em suas águas. Para chegar até o Fervedouro, basta pegar a estrada para São Félix do Jalapão (192 km).

Cachoeira do Rio Formiga

De águas esverdeadas e transparentes esse pequeno rio, perfeito para um banho conta ainda com uma pequena queda. O acesso é pela estrada para São Félix do Jalapão (199 km).

Rafting no Rio Novo

Para conhecer bem o Rio Novo o ideal é fazer o rafting de quatro dias. O passeio começa na altura da Ponte do Rio Novo, onde as águas são bem calmas. Durante a descida observa-se o cerrado, os chapadões e as matas formadas na beira do rio. O percurso vai ficando cada vez mais emocionante à medida em que se desce o rio. O passeio termina perto da Cachoeira Velha.

Atividades Noturnas

A verdadeira atração da noite é ela mesma. Curtir o céu estrelado ou ouvir os sons da natureza são os principais programas no Jalapão. 

 

 

http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/jalapao.jhtm

http://www.ferias.tur.br/informacoes/10239/jalapao-to.html


ALBUM DE FOTOS