Todos os Destinos
Todos os Destinos
CUIABÁ
MATO GROSSO - BRASIL
Publicidade
 
CUIABÁ!
Passagem para Pantanal e Chapada dos Guimarães, Cuiabá mostra muita cultura e história !
Home » Destinos » BRASIL » MATO GROSSO » CUIABÁ
Conheça o Destino Sobre Cidade
Sobre a Cidade
Acesso
Onde me Hospedar?
Gastronomia
Pontos Turísticos
Comprinhas
Curiosidades
Informações e Utilidades
Praias
Fotos e Videos
Localização
Previsão do Tempo
Publicidade
CUIABÁ ! Fonte:
Passagem para Pantanal e Chapada dos Guimarães, Cuiabá mostra muita cultura e história ! PMF/Uol Viagens/ Wikipédia/ Guia 4 Rodas
CUIABÁ

"Quem come cabeça de pacu não sai mais de Cuiabá." Como a frase das ruas da capital mato-grossense já diz, os restaurantes que servem os peixes pacu, pintado e bagre, farofa de banana-da-terra madura, Maria Izabel (mistura de arroz com carne seca), paçoca de pilão, arroz com pequi e a galinhada são parada obrigatória na região. Além de desfrutar de uma variedade de sabores que utiliza muito a mandioca, o pequi (fruto típico do cerrado) e a manga, o visitante ainda pode levar para casa os chips de banana, um dos tradicionais salgadinhos que podem ser encontrados por toda parte.


Mas não é só o pacu que conquista os turistas que resolvem conhecer a capital mato-grossense. A cidade grande com jeito de interior, exaltada nos versos dos ritmos populares cururu e siriri, se moderniza lentamente e tem investido na recuperação das belasfachadas coloniais dos casarões dos séculos 19 e 20, que se transformam em museus, casas de artesanato e até espaços culturais e de manifestação artística, localizados principalmente no centro histórico, tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, e na região portuária da cidade. Apelidada de Notre-Dame cuiabana, a capital de Mato Grosso foi presenteada com uma igreja que se assemelha à famosa de Paris, conhecida como a Nossa Senhora do Bom Despacho, e se orgulha de um museu que fica dentro do primeiro reservatório de água do Estado, em uma caixa d´água desativada adaptada para receber visitantes.

Fundada em 1719 com a descoberta do ouro, a cidade que nunca pára antes das 20h por causa do calor tem um espaço especialmente dedicado ao artesanato de todo o Estado, a Casa do Artesão, onde estão expostos artefatos indígenas, tecelagem, cerâmica (é possível visitar as comunidades ribeirinhas que fabricam a cerâmica), além da famosa viola de cocho, instrumento típico da região pantaneira fabricado artesanalmente. Quem se interessa pela tradição da viola de cocho pode visitar em Cuiabá o ateliê de um dos produtores do instrumento e ver de perto como ela é feita.

Passar calor em Cuiabá é inevitável para quem visita a cidade nos meses de seca e não está acostumado com as altas temperaturas do cerrado. Nessa época, a garrafinha de água é indispensável. De maio a outubro, não é raro os termômetros marcarem temperaturas acima de 30ºC, muitas vezes beirando os 40ºC. A impressão que se tem é que a sensação térmica de muito calor nunca vai mudar. Mas, geralmente por volta das 18h, o clima fica mais fresco e suportável.

O fluxo de turistas na cidade está atrelado principalmente ao turismo de agronegócios, aos festivais de música e cultura popular e aos congressos e, por conta disso, os preços das diárias são mais baratas nos fins de semana.

Cuiabá é porta de entrada tanto para os municípios de Barão de Melgaço, Poconé e Cáceres, que dão acesso tanto ao Pantanal Norte, quanto para a Chapada dos Guimarães (ver em Chapada dos Guimarães), que fica a apenas 70 km. Isso faz com que a capital seja apenas um destino de passagem para quem segue para uma dessas regiões.

Conhecido como Centro Geodésico da América do Sul, a 1.600 km do oceano Pacífico e do Atlântico, a Chapada dos Guimarães é um dos principais destinos dos cuiabanos nos finais de semana. No local, há um mirante com o famoso título de "Centro Geodésico". No entanto, é apenas um marco de altitude que complementa a antiga marcação localizada em Cuiabá, que, de acordo com geógrafos, é o marco exato do centro da América do Sul.

 

Outra opção de passeio mostra um ecossistema e paisagens diferentes. Bastante procurada por quem gosta do contato com a natureza e observar animais exóticos, o Pantanal Norte, ou mato-grossense, tem bom acesso com infra-estrutura hoteleira nos municípios e arredores de Poconé e Cáceres, redutos mais procurados por pescadores, e Barão de Melgaço, onde é possível ver um ´Pantanal mais bruto´, menos explorado pelo turismo.

Em agosto, mês do folclore mato-grossense, acontece o festival Cururu Siriri elaborado para celebrar as culturas típicas da região pantaneira reúne grupos de cururu e de siriri de todo o Estado de Mato Grosso. Festival de Música Calango, que atrai cerca de 5.000 pessoas, a Festa Internacional do Pantanal e o Festival Internacional de Pesca de Cáceres vêm atraindo cada vez mais turistas.

Fonte Uol Viagens


ALBUM DE FOTOS
 

 

INSTITUCIONAL
Home
Agências
Sobre
Politica de Privacidade
Fale Conosco
SERVIÇOS
Hotel ou Serviço
Divulgação para Agências
Anuncie
 
 
DESTINOS
MACEIÓ
ILHÉUS
CANOA QUEBRADA
PORTO VELHO
PORTO ALEGRE
CUIABÁ
ASSINE NOSSA NEWSLETTER
Esoviajar - Qual destino você quer conhecer hoje? Todos os Direitos Reservados 2017.